29/01/2019 09:22 (atualizado em 31/12/1969 21:00)

Vacinação estendida da febre amarela em SC tem apenas 10% da procura esperada Meta está muito abaixo do esperado, segundo o governo de SC. Nenhum caso foi registrado em humanos no estado em 2019.

Ministério informa que, apesar da disponibilidade de vacinas contra a febre amarela, procura por imunização é baixa — Foto: Rodrigo Pereira/Ascom-Bio Manguinhos - Fiocruz

Somente 10,6% da população do estado que deveria se vacinar contra a febre amarela procurou os postos de saúde, segundo a Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive-SC). Os dados são com relação ao público-alvo da campanha estendida de prevenção.

Até esta segunda-feira (28), não havia confirmação de casos de febre amarela em território catarinense. Em janeiro, três casos suspeitos em humanos foram analisados, mas todos foram descartados.

Já com relação a macacos, 11 casos estão em investigação até esta segunda. A Dive-SC reforça a necessidade de atenção, já que no litoral do estado vizinho, no Paraná, em Antonina, três macacos encontrados mortos tinham o vírus da febre amarela, segundo a Secretaria da Saúde do Estado do Paraná (Sesa) na sexta-feira (25).

Até 15 de janeiro, 216.905 pessoas de uma população-alvo estimada de 2.046.324 tomou a vacina em Santa Catarina, conforme a Dive-SC. O governo considera uma meta muito abaixo da esperada.

Vacina estendida

Desde de setembro de 2018, o Governo de Santa Catarina estendeu a vacinação contra febre amarela para todos os catarinenses, nas unidades de saúde públicas. A orientação foi passada pelo Ministério da Saúde.

Anteriormente, a vacina era oferecida apenas para cidades consideradas de risco, em 162 cidades. Depois, de forma preventiva, cada mês uma região do estado ganha o reforço da medicação.

Neste mês, foram disponibilizadas 500 mil doses da vacina em todo o estado. Em fevereiro, 133 cidades do Sul catarinense terão a vacinação, última etapa da campanha.

A doença

A febre amarela não é contagiosa e só pode ser contraída pela picada de um mosquito infectado pelo vírus. A enfermidade pode durar pouco tempo ou evoluir de forma grave, podendo levar à morte.

Qualquer pessoa que não tenha sido vacinada que more ou visite áreas onde há transmissão da doença pode contrair a febre amarela.

Caso a pessoa tenha mais de 59 anos, deve passar por uma avaliação médica para tomar a dose. Não é recomendada a vacina para gestantes, mulheres amamentando e pessoas com imunidade baixa.

Veja fotos da matéria

Fonte: G1 SC

Mais notícias