04/02/2019 16:16 (atualizado em 31/12/1969 21:00)

Governo declara 'guerra' ao crime organizado, diz Bolsonaro em mensagem ao Congresso Mensagem foi lida pela primeira-secretária do Congresso, deputada Soraya Santos (PR-RJ). Mais cedo, nesta segunda (4), ministro Moro (Justiça) apresentou pacote anticorrupção e antiviolência.

O presidente Jair Bolsonaro afirmou em mensagem ao Congresso Nacional que o governo brasileiro declara "guerra" ao crime organizado.

A mensagem, entregue nesta segunda-feira (4) pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, foi lida pela primeira-secretária do Congresso, deputada Soraya Santos (PR-RJ), na sessão de abertura do ano legislativo.

Mais cedo, nesta segunda, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, apresentou um pacote com propostas anticorrupção e antiviolência.

Segundo o presidente da República, a criminalidade "bateu recordes" em razão do "enfraquecimento" das forças de segurança e de leis "demasiadamente permissivas".

Na opinião de Bolsonaro, o poder público foi "tímido" na proteção da vítima e "efusivo na vitimização social" dos criminosos nos últimos anos.

"Os mais vulneráveis foram os que mais sofreram com a degradação da segurança. Mulheres, crianças, pobres e negros eram objeto de discurso, mas não de políticas consistentes de proteção. Não vamos descansar enquanto o Brasil não for um país mais seguro, em que as pessoas possam viver em paz com suas famílias", afirmou o presidente na mensagem.

A cerimônia desta segunda-feira aconteceu no plenário da Câmara dos Deputados.

Além de deputados e senadores, acompanharam a abertura do ano legislativo os presidentes do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP); da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ); do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli; o vice-presidente da República, Hamilton Mourão; e a procuradora-geral da República, Raquel Dodge.

Educação

Em um trecho da mensagem, Bolsonaro afirmou que o país também tem desafios em outras áreas, como educação, que, segundo ele, muitas vezes foi transformada em "espaço de doutrinação ideológica".

Ao Congresso Nacional, Bolsonaro disse que os pais brasileiros querem que os filhos "saibam português, matemática, ciências, que saibam ler, escrever, evoluir por suas próprias pernas".

Ele destacou, então, que as "minorias e as diferenças sejam respeitadas em ambiente acolhedor, afetivo e fratern".

Reforma da Previdência

Ainda na mensagem, Bolsonaro afirmou que o governo está produzindo uma proposta "moderna e, ao mesmo tempo, fraterna" de reforma da Previdência Social. A mensagem também diz que um dos itens que está sendo formulado no projeto é a Poupança Individual da Aposentadoria.

Bolsonaro afirma que, a partir da reforma da Previdência, será iniciada uma "grande mudança" no país, com maior confiança para negócios e aumento de emprego.

Conforme o resultado divulgado pelo Tesouro Nacional, no ano passado, a Previdência registrou déficit de R$ 290 milhões.

Veja fotos da matéria

Fonte: G1

Mais notícias