21/05/2019 14:14 (atualizado em 21/05/2019 14:15)

Filho de lavradores, Cleiton chegará a 12 jogos pelo Atlético no Chile Goleiro de Belmonte defende o Galo mineiro na Copa Sulamericana nesta terça-feira a noite

Quando o Atlético entrar em campo, a partir das 21h30 desta terça-feira (21), uma cidadezinha do interior catarinense, com menos de 3 mil habitantes, estará sintonizada para acompanhar o duelo do alvinegro contra o La Calera, do Chile. O motivo? Apesar da distância para Belo Horizonte, Belmonte é a terra natal do goleiro Cleiton, escolhido para ser o titular nesta noite, em jogo pela Copa Sul-Americana.

Cleiton e o irmão Cleberson na roça no interior de Belmonte. Foto: Arquivo pessoal

Filho de lavradores, o camisa 12 do time mineiro saiu de casa cedo para correr atrás do sonho de ganhar o mundo da bola. Aos 13, já defendia o Marcílio Dias, em Itajaí-SC. Por meio do empresário, Cleiton conseguiu um teste no Atlético e saiu com destino à capital mineira em 2013, ano em que o alvinegro conquistara a Libertadores. Aprovado, precisou esperar até 2017, para estrear na equipe principal, na vitória por 1 a 0 sobre a Chapecoense.

“Ele sempre foi um piá que adorava jogar bola. Na escolinha, jogava de goleiro e atacante, até que um dia decidiu focar em apenas uma posição”, conta o pai, Vilson Schwengber, ao Hoje em Dia.

Ainda segundo o patriarca da família, Cleiton nunca deixou de lado as origens. Quando vai a Belmonte, inclusive, ajuda nas tarefas ordenhando as vacas e executando outras funções . “Ele se sente livre aqui. É um orgulho para mim e para a minha esposa (Anita Rambo), assim como os nossos outros dois filhos, Simone e Cleberson”, acrescenta.

Presente aos pais

Bom filho e orgulhoso de suas origens, Cleiton não precisou de muito para retribuir o afeto da família; pagar as passagens aéreas com destino a BH se tornou o presente favorito.

“Sempre que ele pode, nos recebe em Belo Horizonte. Quando chegou ao profissional do Atlético, nos deu presentes inesquecíveis, como um par de chuteira com meu nome e outro com o da mãe”, conta Sr. Vilson. “Ah! No final do ano, ele também nos presenteou com uma moto e um carro”, finaliza.

Em 2017, Cleiton assistiu a final do Campeonato de Santa Helena na Linha Liberdade. Foto: Vanduir Matias/Rádio Tunaporã

Veja fotos da matéria

Fonte: Jornal Hoje em Dia

Mais notícias