AO VIVO
Fechar
© 2019 - Rádio Progresso Todos direitos reservados

Inter perde por 1 a 0 para o Athletico-PR e terá de reverter no Beira-Rio

Sonho do bicampeonato da Copa do Brasil passará por uma vitória em frente à torcida

Por Rádio Progresso
Postado em 12 de setembro de 2019 às 02:39.51

O Inter precisava suportar a pressão do Athletico-PR, muito forte em seus domínios, para tentar sair da Arena da Baixada, na noite desta quarta-feira, com um bom resultado no jogo de ida da final da Copa do Brasil. No entanto, não viveu sua melhor noite e encontrou um Athletico-PR agressivo, especialmente no primeiro tempo. Assim, acabou derrotado por 1 a 0 nos primeiros 90 minutos da decisão. Ficou a responsabilidade para reverter o resultado no Beira-Rio.

O único gol do jogo foi marcado por Bruno Guimarães, aos 13 minutos do segundo tempo. Agora, o Inter precisará reverter a desvantagem para ficar com o bicampeonato nacional. Para isso, precisará vencer por 2 gols de diferença no tempo normal. Em caso de vitória por um gol de diferença, decisão do título será nos pênaltis. Não há gol qualificado como critério de desempate.

A partida de volta da final da Copa do Brasil acontece na próxima quarta-feira, 18 de setembro, às 21h30min, no Beira Rio. Pelo Brasileirão, o próximo compromisso do Inter é no domingo, às 11h, contra o Atlético-MG, na Arena Independência. No mesmo dia e horário, o Athletico-PR recebe o Avaí, na Arena da Baixada.

Agressivo, Athletico-PR é melhor

O Inter de Odair Hellmann iniciou o jogo sem surpresas. Após o retorno de Nico López ao time titular, consolidado com a sequência de boas atuações, o treinador optou por manter a equipe que iniciou o jogo de volta da semifinal, no Beira-Rio, na vitória sobre o Cruzeiro pelo placar de 3 a 0.

Jogando em casa, o Athletico-PR tentou impor o mesmo ritmo de jogo que teve na vitória sobre o Grêmio, na semifinal. Empurrado pelo seu torcedor, conseguiu manter o Inter em seu próprio campo nos minutos iniciais, ensaiando uma pressão. Chegou a criar uma boa chance com Rony, que foi lançado em profundidade por Nikão, mas Marcelo Lomba se antecipou para evitar o gol.

Apesar do maior volume nos minutos iniciais, foi o Inter quem finalizou primeiro. Edenílson roubou bola e achou D'Alessandro no meio. O argentino lançou Nico López no lado esquerdo de ataque, que finalizou cruzado, assustando o goleiro Santos. A resposta veio menos de um minuto depois. Rony recebeu na entrada da área e bateu forte, de perna esquerda. A bola passou à direita do goleiro Marcelo Lomba.

O Athletico ficou muito mais com a bola. Nos primeiros 20 minutos da partida, os números ficaram próximos ao 80% em favor dos paranaenses, que trocavam muito mais passes, especialmente no setor de defesa do Inter, em frente aos volantes colorados. Sem exercer marcação pressão, e com as linhas baixas, o Inter deixou o Athletico-PR confortável no início do jogo.

O Furacão encerrou o primeiro tempo com a mesma postura: agressivo e competitivo, permaneceu marcando com as linhas altas durante os 45 minutos iniciais. Melhor no jogo, pressionou, mas não encontrou o gol, enquando o Inter se restringiu a explorar contra-ataques esporádicos, sem muito sucesso.

Bruno Guimarães marca e Athletico vence

Na segunda etapa, o jogo ganhou em velocidade. As duas equipes passaram a explorar mais as jogadas pelas laterais e, com isso, a partida ficou mais franca, com trocas de golpes por parte de ambos os times. O Inter voltou melhor, com mais finalizações. A mais perigosa nos minutos iniciais veio com Edenílson, que recebeu passe de Guerrero na direita e arrancou até chegar na entrada da área. Ele finalizou rasteiro, cruzado, e desvio mandou a bola para escanteio.

Para tentar reverter o quadro, o técnico Thiago Nunes colocou em campo o meia Thonny Anderson, ex-Grêmio. Não precisou esperar muito para marcar. Um minuto depois da troca, Marco Rúben tentou passe e Rodrigo Moledo afastou mal, de volta nos pés do atacante. Na segunda vez, ele acertou o passe para Bruno Guimarães que, de perna direita, bateu alto, no ângulo esquerdo de Marcelo Lomba para abrir o placar.

Foi a vez de Odair Hellmann mexer para explorar ainda mais as jogadas de velocidade. Sacou Nico López e colocou Wellington Silva, uma troca frequente na campanha da Copa do Brasil. Como de praxe, o jogador entrou bem, dando trabalho ao setor direito de defesa do Athletico-PR. Aos 25 do segundo tempo, teve boa chance após Guerrero não ter o domínio já dentro da área, mas finalização subiu demais, à esquerda do gol defendido por Santos.

A resposta do Athletico veio de novo em velocidade. Rony, um dos melhores em campo, fez fila na entrada da área e bateu forte, para grande defesa de Marcelo Lomba. Apesar das tentativas, o quadro pouco mudou. O Inter até passou a ocupar mais o campo do Athletico na metade final do segundo tempo, mas o gol não saiu. Assim, o Inter precisará reverter a vantagem no segundo confronto para ficar com o título da Copa do Brasil.

Copa do Brasil - Final

Athletico-PR 1

Santos; Khellven, Robson Bambu, Léo Pereira e Márcio Azevedo; Wellington Martins, Bruno Guimarães, Léo Citadini (Thonny Anderson), Nikão e Rony (Lucho González); Marco Rúben (Marcelo Cirino). Técnico: Thiago Nunes

Inter 0

Marcelo Lomba; Bruno, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Uendel; Rodrigo Lindoso, Edenílson (Nonato), Patrick, D'Alessandro e Nico López (Wellington Silva); Paolo Guerrero. Técnico: Odair Hellmann

Gol: Bruno Guimarães (13min/2°T)

Cartão amarelos: Khellven (Athletico-PR)

Árbitro: Raphael Claus (SP)

Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)

Fonte: Correio do Povo
Fotos: