AO VIVO
Fechar
© 2019 - Rádio Progresso Todos direitos reservados

Sobe para nove o número de municípios em emergência por conta da estiagem em SC

Transporte de água e perdas na agricultura são os principais motivos dos decretos em cidades do Oeste catarinense

Por Rádio Progresso
Postado em 18 de setembro de 2019 às 03:51.26

Subiu para nove o número de municípios em situação de emergência no Oeste de Santa Catarina devido à estiagem, que já dura três meses e meio. Além de Santa Terezinha do Progresso, Palma Sola, São João do Oeste e Planalto Alegre, outros cinco entraram na lista: Irati, Bom Jesus, Faxinal dos Guedes, Ouro Verde e São Lourenço do Oeste. Os principais motivos são falta de água no interior, com necessidade de transporte pelas prefeituras, além das perdas na agricultura.

O prefeito de São Lourenço do Oeste, Rafael Caleffi, assinou o decreto nesta terça-feira (17), após reunião da Defesa Civil.

— A última chuva forte que tivemos aqui foi no dia 27 de maio, depois disso só para molhar a poeira. Estamos com dois caminhões, um da prefeitura e outro dos Bombeiros, levando água para o interior e não estamos dando conta. São mais de 100 mil litros por dia. A partir de agora vamos levar somente água para consumo humano. Recomendamos não alojar mais animais nos aviários enquanto não chover — disse o prefeito.

Caleffi também alertou que o Rio Macaco, que abastece a cidade, está seco. O poço profundo também está sendo utilizado acima do limite e, se não chover, a cidade pode entrar em racionamento a partir da próxima semana, segundo o prefeito.

— Os rios estão secos, só tem algumas poças de água, e a situação tende a piorar, pois não tem previsão de grandes volumes de chuva — alertou.

Dezenas de municípios estão transportando água para famílias do interior. Em Concórdia, a BRF iniciou, na semana passada, o transporte de água do lago de Itá para abastecer os reservatórios das agroindústrias.

Em Chapecó, a barragem do Engenho Braun, no Lajeado São José, está cerca de um metro abaixo do normal. A Casan já teve que aprofundar as bombas de captação e prevê que pode ocorrer manobras de registro e restrição de fornecimento de água em alguns horários, caso não chova pelo menos 15 milímetros até a semana que vem.

Em Maravilha, a captação do Rio Jundiá caiu 40% e já está ocorrendo rodízio. A Casan tenta por em funcionamento um poço profundo.

Em Abelardo Luz também ocorreram alguns problemas de fornecimento, e uma das medidas é contratar uma empresa para aprofundar a captação no Rio Chapecó.

Os municípios em situação crítica de abastecimento, segundo a Casan, são Saltinho, Chapecó, Vargem Bonita, Bandeirante, Faxinal dos Guedes, Xaxim, Formosa do Sul, Maravilha e Águas Frias.

De acordo com o superintendente regional de negócios da estatal, Daniel Scharff, em Nova Erechim, onde a situação também estava crítica, foi realizada uma melhoria no sistema de captação do rio Barreiro e o abastecimento foi normalizado, embora continue em alerta devido ao baixo nível do rio.

Fonte: Darci Debona - NSC
Fotos: