AO VIVO
Fechar
© 2019 - Rádio Progresso Todos direitos reservados

Maioria das mortes por afogamento no feriadão em SC ocorreu em locais sem guarda-vidas

Mesmo sem ter iniciado a Operação Veraneio, 480 guarda-vidas trabalharam entre a sexta-feira e o domingo no Estado

Por Rádio Progresso
Postado em 19 de novembro de 2019 às 08:02.37

Mesmo com 480 guarda-vidas atuando em locais públicos de banho no feriado prolongado da Proclamação da República, sete pessoas morreram por afogamento em Santa Catarina entre a sexta-feira e o domingo (17). Do total de mortes, apenas duas aconteceram no mar - uma delas após queda de um costão. Os demais casos foram em rios, lagos e em uma cachoeira.

Responsável por coordenar a Operação Veraneio no Estado e comandante da 1° Região de Bombeiro Militar de SC, o coronel César Assumpção Nunes afirmou que a maioria das mortes poderia ter sido evitada, caso os banhistas tivessem optado por locais mais seguros:

— Eu nunca coloquei tantos guarda-vidas em feriado antes. Mas não é um serviço absoluto. São 400 postos em todo o litoral catarinense.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático (Sobrasa), 15% das mortes por afogamento ocorre em água salgada, as demais mortes ocorrem em água doce, sendo 25% em rios, 5% em lagoas e 2% em cachoeiras.

Para o coronel, a maneira mais eficaz de se evitar um óbito por afogamento é através de uma postura preventiva dos próprios banhistas:    

“A responsabilidade também é nossa, mas a gente sempre faz um apelo para que as pessoas procurem se banhar em locais onde estão os guarda-vidas e durante o dia.”

Segundo o Bombeiro Militar, uma mulher foi socorrida com hipotermia na madrugada do último feriado, no Litoral Norte, após entrar na água sozinha e permanecer dentro do mar por 40 minutos. Outras pessoas morreram porque estavam em águas fora de alcance dos guarda-vidas.

— Os Bombeiros trabalham 24h, mas os guarda-vidas não atuam naquele horário (ao se referir do socorro realizado no mar, na madrugada do feriado). As pessoas precisam ter mais cuidado — diz.

E a Operação Veraneio?

Somente no dia 12 de dezembro inicia a operação em todo o Estado. Até lá, os guarda-vidas atuam com uma dinâmica de revezamento, baseado em estudo que abrange a análise de praias mais quentes e mais procuradas fora do veraneio.

Questionado sobre a possibilidade de antecipar o lançamento da operação, o coronel Cesar Nunes afirmou que precisa de mais recursos para empregar o efetivo durante um tempo mais estendido:

— Trabalho com limite de recursos por ano e para cada praia. Já existe uma sinalização positiva do governo para aumentar esse recurso e antecipar a operação em praias mais quentes, como Itapema, Bombinhas, mais ao Norte do Estado, mas não para esse ano. 

Cuidados para os banhistas

Entre muitos cuidados simples, que devem ser tomados independentemente do local de banho – piscinas, mar, rios ou lagos, o comandante da Operação Veraneio destaca três:

- Não tirar os olhos das crianças pequenas. A distância de uma criança deve ser de um braço, apenas, pois, qualquer tombo pode terminar com afogamento e morte;

- Banhar-se em locais onde tem serviço de guarda-vidas e perguntar qual local é mais seguro;

- Observar a sinalização - bandeira vermelha sinaliza perigo e deve ser evitada.

Fonte: NSC
Fotos: