AO VIVO
Fechar
© 2020 - Rádio Tunaporã Todos direitos reservados

Romildo fala sobre renovação de Renato, negociações e compra da Arena

Presidente tricolor revela que oferta inclui valorização e se diz tranquilo quanto à renovação com o treinador.

Por Rádio Tunaporã
Postado em 14 de dezembro de 2019 às 08:36.19

Na tarde da última terça-feira, Romildo Bolzan Jr. recebeu a reportagem do Correio do Povo em sua sala, na Arena do Grêmio para a gravação de um episódio especial do podcast CP Futebol Clube, do Correio do Povo. Bem humorado, o presidente gremista não fugiu de nenhuma pergunta ao longo de mais de 40 minutos da conversa. "Estou disposto a responder tudo", brincou. E de fato respondeu. Falou abertamente sobre as situações de Luan e de Tardelli para a próxima temporada, admitiu a necessidade de venda de um jogador na próxima janela de transferências, deu mais detalhes sobre a compra da Arena e garantiu ainda que não será candidato ao Senado (ou a qualquer outro cargo político) enquanto tiver mandato no Tricolor.

Abaixo, alguns trechos da conversa. A entrevista completa pode ser conferida no podcast CP Futebol Clube

Balanço da temporada

"A grende decepção foi a Copa do Brasil. Saímos de um jogo aqui com 2 a 0, podíamos ter colocado três, quatro. Chegamos lá no Paraná, um pênalti (não marcado) logo nos primeiros minutos, uma vergonha. Depois tomamos dois gols e perdemos nos pênaltis. Então é a grande decepção futebolistica, contávamos com isso para fechamento do fluxo de premiações e não aconteceu. Tomar cinco não dá para aceitar, é uma indignidade, mas perdemos para o campeão. Chegamos em quarto no Brasileirão. Faltou para nós mais um título? Sim. O que nós temos que fazer para 2020 é seguir competindo, no mesmo espírito, capacidade de chegar, ganhar muitas vezes é detalhe"

Postura no mercado

"O Grêmio vai ter aquisição de laterais por questões numéricas, volantes por questões numéricas, atacantes por questões numéricas, estamos falando de posições que saíram jogadores e terão que ser repostos. O resto vamos aproveitar do conjunto de formação do

Grêmio, basicamente é isso. (...) Essa receita ficaria bem, 22 jogadores mais 11 que vierem da base, um plantel de 33 jogadores fica numa situação competitiva desde que o desempenho no campo aconteça"

Fim de ciclo?

"Eu não diria fim de ciclo. Para alguns jogadores sim, mas nós vamos manter uma base com Geromel, Kannemann, Cortez está há bastante tempo, Maicon também, Everton. Daquele time que foi campeão em 2016 saiu Walace, saiu Pedro Rocha, Douglas. A grande vantagem do Grêmio foi a renovação por dentro, e não trazer jogadores por fora. Nós temos hoje um processo de auto-renovação, que é extremamente importante e vamos continuar. O ciclo na verdade são jogadores que estão se incorporando ao elenco profissional, mas que há muito tempo vivenciam a cultura do clube participando do elenco profissional. Quando tu traz esses jogadores tu não está renovando, está incluindo. Nós temos o Felipe que está chegando, Guilherme Guedes voltando da Ponte Preta, volantes temos o Frizzo, temos o Varela, tem o Araujo, o Darlan. Quero citar o Jonatha Robert e o Guilherme Azevedo, são dois jogadores extremanete importantes, fazem o lado de campo mas também o ponta de lança".

Luan

O Luan expldiu em 2017, o Grêmio teve proposta de vender, não ocorreu, mas o Grêmio valorizou o jogador, cumpriu o papel dele, valorizou seu ativo. De 2017 pra cá ele é reconhecido no clube em uma situação importante, em primeiro lugar do ponto de vista esportivo, depois a questão do ativo. De 18, 19 pra cá o Luan praticamente não jogou, e isso depreciou seu preço. Ele desaprendeu? Não. Nós queremos que ele se recupere? Queremos. Vamos fazer todo o esforço pra isso? Vamos. No entanto, ele se depreciou por não ter jogado, então é um jogador que precisa retomar toda sua capacidade física, toda sua capacidade de jogar bola, e se constituir em um jogador importante, que resolve a nossa vida, decide os jogos, que tem essa empatia com a torcida e o clube, isso que a gente deseja."

"Se tiver uma proposta pelo Luan, atrativa para o clube e para ele, claro que vamos examinar, tem certos momentos que é importante examinar isso porque talvez ele vão produzir mais em outro lugar. Não sei o que ele está imaginando. Mas o Grêmio pensa em ficar com ele, recuperá-lo, ter ele e ao mesmo tempo se tiver situação de negócio importante para as duas partes vamos realizar também"

"O Klauss (Câmara, executivo de futebol) ligou e falou para ele que não foi prudente (participar de jogo festivo na segunda-feira). Pode participar, estar presente, fardar, sentar no banco, agora não pode jogar por causa da situação. Não foi prudente, ele tem um processo de recuperação clínica, fratura de fadiga, essas situações têm que ter um cuidado especial. Se ele ficar conosco nós vamos precisar dele inteiro e se tiver negócvio ele tem que estar inteiro também".

Everton

"Temos muitas consultas a respeito do Everton. Não é a melhor janela para negociá-lo, e não há nenhuma consulta firme que pudesse indicar situação de negócio. Fizemos renovação, valorizamos como fizemos com o Luan, é um dos melhores da América, então vamos combinar, para ter um jogador desse porte tem um preço a ser pago."

"Se ele ficar conosco, ótimo. Se realizar uma boa situação de negócio para ele e o clube vamos em frente, temos substitutos. As duas situações nos servem, ficar com ele seria extremamente favorável. Na janela passada veio no último dia uma proposta, que depois não se confirmou. O que tem hoje são meras consultas, nada consistente".

Tardelli

"O Tardelli não foi bem, não desempenhou para nós e nem para ele, estamos repetindo o que ele disse. Ele também não se sentiu satisfeito com os desempenhos que ele teve conosco. É uma situação que tem que ser pesada. Ele tem contrato longo conosco, e ficando a gente tem que dar todas as condições para ele deslanchar. Não tem o que fazer, ninguém vai botar dinheiro fora. Ele foi um investimento que o Grêmio fez, desembolsa mensalmente uma situação importante e isso significa dizer que ele sendo jogador do Grêmio e ficando conosco, vamos dar todas as condições para que ele jogue e recupere aquela bola que todo mundo esperava que ele jogasse, que ainda não jogou."

Necessidade de venda

"O Grêmio possivelmente terá de fazer uma situação de venda, é necessário fazer. Ano passado começamos o ano de uma maneira tranquila porque vendemos o Tetê. É

importante começar o ano com alguma capacidade financeira para desenvolver o ano com tranquilidade, ter uma reserva de caixa. Se não tiver, vamos bem igual, mas se tiver por uma questão de fluxo para dar garantia negocial, para dar garantia de sustentabilidade, seria bom realizar algum negócio sim."

Como lidar com um ídolo como Renato

"Se administra pessoas, primeiro, com respeito recíproco, tem que entender a pessoa, ela tem seus problemas, seus comportamentos, suas extravagências, seus momento de humildade. Se tu conseguires interpretar a pessoa e valorizar ela, dentro do que ela efetivamente é, tudo se resolve bem. Segundo, tu tens que te colocar em um nível igual de conversa, de solidariedade, companheirismo, lealdade e amizade. Aqui dentro das nossas relações, é uma amizade que existe, mas uma situação rigorosamente de hierarquia também. Existe um presidente, um Conselho de Administração, a comissão técnica. A cobrança vai existir desde que o debate seja de forma leal, discreto, pessoal, de modo que tu passe a avaliar isso de maneira correta e ética, pode cobrar o que quiser. Só não pode fazer isso publicamente, fazer isso expondo coisas que não se deve."

Renovação com o técnico

"O Renato tem a proposta que o Grêmio fez. Ele está de férias, não sei se ele pensa muito diferente da proposta que apresentamos, mas eu diria que são contratos muito bem pagos para o nível do futebol brasileiro. De 2016 para cá o salário dele é muito superior. Por conta dos méritos. Ganhou? É vencedor? Vai ter reconhecimento, faz parte do jogo. Claro que às vezes a gente procura adequar porque bate no teto. Nós valorizamos um pouco mais o contrato, tem premiação pelo Campeonato Gaúcho, tem premiação por classificação na Libertadores, os bônus, está tudo detalhado e definido no contrato, salário e premiações. Entendemos que o que foi feito para ele em termos de proposta é adequado ao mercado do futebol brasileiro, levando em conta a sua posição no mercado, é um técnico de ponta e um dos mais reconhecidos, adquiriu esse status e, portanto, para ficar com ele a gente sabe que tem que reconhecer tudo isso. Nesse momento estou tranquilo quanto à renovação. Não vou perder o sono, se tiver um problema aí sim vou perder.

Compra da Arena

"Te diria hoje que temos muito pouca coisa para resolver. O que vai ser mais determinante é a questão documental, a questão dos prazos. São coisas que já estão desenhadas, com os conceitos feitos, principalmente os financiamentos e os aceites dos financiamentos, a estruturação financeira da negociação, com os deságios que os bancos vão aceitar. Tudo isso está bem encaminhado".

"O documento de vinculação das partes do negócio deve ser assinado no final do ano ou no início do ano que vem. E depois é preparar a transição para isso. Acho que vamos demandar o primeiro trimestre de 2020. É um negócio complexo".

"O Grêmio vai ter a operação do estádio, manutenção, receitas. Se mantivermos a mesma operação, vamos ter um prejuízo anual de R$ 6 milhões, mas o Grêmio tem um plano negocial perfeitamente exequível."

"Temos convicção de que a nova forma de associação vai se expandir de tal forma que o estádio vai se tornar auto sustentável só por essa nova campanha. Planos já estão prontos, o projeto organizado. O estádio será ocupado anualmente e integralmente pelos sócios".

Mudanças no departamento de futebol

"Nossa ideia neste momento é não avançar em nenhuma questão política, valorizarmos os processos de alguns ajustes que precisam ser feitos institucionalmente. Não temos pressa nenhuma. É preciso cuidado. Eu vi a citação de vários nomes e algumas dessas pessoas não merecem, porque sabe aquela coisa de boi de piranha? Bota um monte de gente na frente e um boi na frente, as piranhas vão naquele boi e os outros passam tranquilo. Não é assim. É muito complicado botar nomes no ar nesse momento porque é mais provável que sejam prejudicados do que valorizados. Não é a hora."

Candidatura ao Senado em 2022?

"Se um dia tiver a oportunidade de voltar a ser vereador em Osório, esse é meu desejo político, mas não agora".

"Descarto completamente (a candidatura ao Senado em 2022). Enquanto estiver no Grêmio, não participarei de eleição política."

"(Sobre a possibilidade de se licenciar em 2022 para concorrer) Enquanto estiver com mandato vigorando no Grêmio, não terei possibilidade de ser candidato. Foi uma posição

pessoal assumida, em um primeiro momento com o presidente Fábio Koff. Não teria mais esse compromisso, até porque a reeleição não era prevista, mas tenho esse compromisso ético, então vou reiterar: enquanto estiver com mandato vigorando no clube, não haverá candidatura política. Depois disso..."

"Tenho prevenção ao raciocínio de tirar qualquer proveito político dentro de um mandato no clube. Não gosto disso, não acho correto, não farei isso. Tive a oportunidade. Vieram aqui em romaria para eu ser candidato na eleição passada, não foi possível. Por uma questão conceitual e de compromisso com o clube."

"Chora macaco imundo" é um cântico racista?

"Num primeiro momento esse canto não era racista, porque era um canto de provocação. Mas nesses momentos de hoje ele (cântico) pode ser absolutamente mal interpretado, colocado de uma maneira racista ou provocativa, por isso que nós proibimos. O Grêmio proibiu as torcidas organizadas de cantar isso desde que nós assumimos, me recordo muito bem de um treino em Canela, em 2015, no meu primeiro ano, a torcida foi para lá e começou a cantar. Imediatamente pedimos para parar. Aquilo que parecia culturalmente aceitável há pouco tempo atrás, deixou de ser. Por conta extamente dos ambiente criados, então o Grêmio tem que se adequar às posturas corretas do ponto de vista desta luta."

O Flamengo pode se tornar imbatível?

"Essa pergunta abre muitas questões. Passa pelo financiamento dos Campeonatos Brasileiros, passa por uma posição muito mais institucional dos campeonatos que a CBF promove, na medida em que a CBF que gera os campeonatos, que gera as condições de fazer imagens, gera os contratos de televisão e tudo mais... Acho que a CBF tem que ter uma visão muito mais reguladora desses contratos, porque nenhum time joga sozinho. No momento em que se cria uma distorção como está sendo criada nos financiamentos televisivos do futebol, isso gera diferenças. Então, antes de qualquer coisa, a gente precisa revisar os processos de fincanciamento do futebol brasileiro, essa é a primeira questão. O Grêmio, por exemplo, sempre teve em uma posição mais ou menos parelha. O Grêmio sempre foi um time lá da quarta, quinta posição financeira do futebol brasileiro. O Grêmio tem diagnósticos importantes, feitos com correção, para conseguir competir. Nesse momento, aquilo que se imaginava lá em 2016 quando se trabalhou as renovações de contrato, com metas, exposição, a gente não sabia como estava sendo negociado o payper view.

E ali hoje está a grande distorção do futebol brasileiro, como o pay per view também é um produto da CBF, é um produto que decorre da organização de campeonatos pela CBF, ele deve também ser regulado nesse sentido para dar um certo equilíbrio. O Flamengo conseguiu fazer diagnósticos corretos, é bom que se reconheça isso, e montou um grande time, tinha jogadores para fazer tudo que fez. Mas eu continuo acreditando que a política que o Grêmio desenvolve de formação, porque nós jamais teremos condições de comprar um jogador de 10, 15 milhões de euros, nós podemos produzir. Nós podemos competir. O que o Flamengo fez serve de referência para eles com o dinheiro que eles têm. Mas o nosso nível de cultura de formação é outro, e também poderemos ser competitivos como qualquer outro.

Fonte: Correio do Povo
Fotos: